Fallout with Brazil over NSA, a ‘high political cost’ to US – audio

PRESIDENT DILMA Rousseff’s decision to call off her state visit to Washington may well be the highest political cost the White House has paid so far in its international relations for the allegations of spying by the National Security Agency (NSA).

Dilma would be the only leader to be offered a state reception by the White House this year, a reflection of the importance the US places in the bilateral ties, the US administration said in a statement.

Continue reading “Fallout with Brazil over NSA, a ‘high political cost’ to US – audio”

Dilma and Obama in search of the ‘lost chemistry’

PRESIDENT DILMA Rousseff may still find what she calls “political conditions” to keep her plans of visiting the US in October.

But keeping the chemistry alive will be harder after the National Security Agency (NSA) was accused of intercepting her own communications with staff, and perhaps breaking into the network of Brazil’s flagship state-owned oil giant, Petrobras.

Continue reading “Dilma and Obama in search of the ‘lost chemistry’”

Quem salva o entusiasmo do encontro entre Dilma e Obama?

PODEM ATÉ salvar a visita de Estado da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos, marcada para o fim de outubro, mas reinjetar entusiasmo serão outros quinhentos.

Continue reading “Quem salva o entusiasmo do encontro entre Dilma e Obama?”

O desafio de comunicar uma revolução sem um ‘Che’

CHE GUEVARA foi transformado em ícone global e as balaclavas do Exército Zapatista de Liberação Nacional (EZLN) do Estado de Chiapas, no México, já mostravam que o pop também está a serviço das revoluções contemporâneas.

Na Venezuela, ninguém como o chamado líder da autoproclamada revolução bolivariana se adequou tão bem a essa finalidade quanto Hugo Chávez.

Continue reading “O desafio de comunicar uma revolução sem um ‘Che’”

Um olhar sobre o ‘último referendo sobre Chávez’

MILHÕES de venezuelanos vão às urnas neste domingo em uma eleição presidencial que se converteu, como era previsto, em um referendo – póstumo e último – sobre os 14 anos da era Hugo Chávez.

Mesmo sem a presença física do líder da chamada revolução bolivariana, a devoção a ele foi objeto de bordões, gritos de guerra e material de campanha tanto quanto o nome do seu candidato que aparece entre as opções das 39 mil urnas eletrônicas mobilizadas neste domingo.

Continue reading “Um olhar sobre o ‘último referendo sobre Chávez’”